Acessibilidade (0)
A A A
Youtube - OERN Facebook - OERN Linkedin - OERN
Logo OE
OERN servicos@oern.pt

Tudo o que vem à rede é peixe, inovação e troca de conhecimento

22 de março de 2017 | Engenharia do Ambiente

O Colégio Regional de Engenharia do Ambiente e o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) juntaram-se no Dia Mundial da Água para uma sessão, no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, onde concluíram a importância e necessidade de aliar a Engenharia e o conhecimento do mar para uma “gestão e exploração sustentáveis”.

 


A sessão “Inovações e descobertas ligadas ao mar e ambiente” foi conduzida pelo diretor do CIIMAR, o biólogo Vítor Vasconcelos, que explicou aos presentes a vertente “claramente interdisciplinar” do Centro, que, em conjunto com diversas instituições, tem como principal função “estudar tudo o que tem a ver com o ambiente e o mar”. “Esta vossa vinda aqui vai aumentar a nossa capacidade de rede, de participar em projetos de investigação e transferência de tecnologia”, acredita o responsável.


No CIIMAR, cruzam-se os conhecimentos de biólogos, químicos, físicos, oceanógrafos, pessoas da área do Direito e, ainda que em minoria, engenheiros “relacionados maioritariamente com a área da erosão costeira”. “Conhecer o oceano como base para a sua gestão e exploração sustentáveis são as nossas metas na investigação”, afirma Vítor Vasconcelos.


A Engenharia ao serviço da valorização dos recursos marinhos


Entre os vários projetos executados e áreas de atuação do CIIMAR, Vítor Vasconcelos sublinhou a importância da Engenharia em muito do trabalho desenvolvido pelo Centro, nomeadamente numa das suas principais linhas de investigação, a da biotecnologia marinha.


“Interessa-nos perceber o que é que podemos ir buscar ao mar e valorizá-lo do ponto de vista tecnológico e aqui, obviamente, a ligação com a Engenharia é fundamental”, explica o diretor, acrescentando: “temos o conhecimento básico, mas precisamos do conhecimento aplicado e do desenvolvimento de tecnologias”. Desta valorização, surgiram já três patentes para tratamento da malária e de doenças de bactérias multirresistentes e para produção de tintas anti vegetativas para navios.


Da contribuição da Engenharia para este trabalho de gestão e exploração do mar, Vítor Vasconcelos destaca, ainda, as equipas que se ocupam das questões da dinâmica costeira e oceânica, “onde há muitas equipas de Engenharia, que estudam os processos de erosão costeira, como é que as areias circulam, de que forma podemos impedir estes processos”, mas também da questão da remediação dos riscos.



Os projetos CORAL, SpilLess e Rewater são exemplos dessa contribuição, uma “contaminação com engenheiros de salutar”, diz o diretor do CIIMAR. O primeiro pressupõe o desenvolvimento de ferramentas e tecnologias para a exploração do mar profundo; o segundo recorre à Engenharia para o desenvolvimento de drones ou submergíveis que vão depositar bactérias que degradam o petróleo nos locais onde são precisas; enquanto o Rewater se dedica ao tratamento de águas residuais para a agricultura. “Eu creio, claramente, que há aqui uma possibilidade de colaboração futura”, rematou o diretor do CIIMAR.


Unir esforços, partilhar conhecimentos


Nas palavras do coordenador do Colégio de Engenharia do Ambiente da OERN, estas sessões conjuntas com entidades de referência na área representam uma mais-valia para profissionais do ambiente, engenheiros e não só. “Colocar a Engenharia e as engenheiras e engenheiros num papel de vanguarda, junto da investigação, da inovação, da tecnologia de ponta” é o nosso objetivo”, assume Carlos Afonso Teixeira.


E acrescenta: “queremos, com estas iniciativas, que a capacidade de conhecimento de certas entidades seja transferida e esteja ao dispor da sociedade, onde estarão, certamente, engenheiros”. Também o direto o CIIMAR defendeu a importância e os benefícios da troca de conhecimento com a Engenharia.


Durante o período dedicado ao debate, foram colocados em cima da mesa temas como a interação e o aproveitamento do conhecimento detido pela Marinha, a problemática da produção duvidosa em aquacultura e a o mar como recurso para novas soluções no campo dos antibióticos.


No final da sessão, os participantes tiveram, ainda, a oportunidade de fazer uma visita guiada ao Terminal, um projeto da autoria do arquiteto Luís Pedro Silva, recentemente eleito Edifício do Ano, pela Archdaily.

 

Apresentação CIIMAR, Vítor Vasconcelos

 

 

 

 

 

 

 

 


 

2018 © Copyright, Ordem dos Engenheiros Região Norte